Leituras do mês | Novembro 2017

Ah, como a leitura faz diferença em nossas vidas! Não importa onde esteja, consigo me desligar do mundo, desde que tenha um livro em mãos. E, mesmo que em novembro eu tenha lido menos do que de costume, acredito que o mais importante é manter a literatura em nossa rotina. Enfim, após essa breve reflexão, vamos às obras lidas…


“Lavoura Arcaica”, de Raduan Nassar

img_20171107_141640493.jpg

Num de meus “passeios” pela biblioteca da escola, decidi pegar emprestado o livro “Lavoura Arcaica”, do escritor paulista Raduan Nassar. Desde o primeiro parágrafo, fui tomada por uma espécie de estranhamento, de modo análogo ao que sentimos quando lemos poesia. Isso muito se deveu à escrita peculiar empregada pelo autor, marcada por frases e períodos longos e uma incrível “poeticidade”. Quanto ao tema da narrativa, pode-se dizer que gira em torno, sobretudo, da ruptura com a tradição e de conflitos – sejam eles internos ou familiares. Penso que, nessa primeira leitura, alguns aspectos ainda passaram-me despercebidos e, por isso, irei possivelmente retornar à obra no futuro.

“A Estrutura da Bolha de Sabão”, de Lygia Fagundes Telles

IMG_20171123_060409173

Não acho que já mencionei Lygia Fagundes Telles por aqui. Por ora, basta dizer que, apesar de conhecer apenas um romance e alguns contos de sua autoria, ela já figura no hall de meus escritores preferidos da vida. Tendo isso em mente, seria de se esperar que eu tivesse altas expectativas em relação às obras dela, e com “A Estrutura da Bolha de Sabão” não foi diferente. Mais uma vez, fiquei encantada com a escrita da Lygia nessa coletânea de contos, que abordam as inquietações, os medos, os desejos e tantos outros pensamentos confusos que habitam a mente humana (sim, há bastante uso de fluxo de consciência!). Mas, apesar de ter apreciado todos os textos, não hesito em declarar o meu favorito deles: “A Confissão de Leontina”, um conto não menos que incrível!

“The Hobbit”, de J.R.R. Tolkien

“Numa toca no chão vivia um hobbit. Não uma toca desagradável, suja e úmida, cheia de restos de minhocas e com cheiro de lodo, tampouco uma toca seca, vazia e arenosa, sem nada em que sentar ou o que comer: era a toca de um hobbit, e isso quer dizer conforto.”

Não importa quantas vezes eu leia essa frase, sempre esboçarei um sorriso ao adentrar dessa forma na vida de Bilbo Bolseiro. Afinal, não haveria melhor modo de apresentar-nos o choque de realidade que o hobbit, amante do conforto de sua toca, sofre ao embarcar numa aventura sem igual com um grupo de anões, todos em busca de um tesouro há muito perdido para um dragão sedento de ouro. Essa foi minha segunda leitura da obra, e não há como negar: afeiçoei-me demais ao pequeno “grande” Bilbo. Não li ainda a trilogia “O Senhor dos Anéis” (fiquei um tanto traumatizada após abandonar “O Silmarillion”…), mas veio-me uma vontade de acompanhar a história dos personagens, saber o que acontece a eles… Talvez não agora, mas num futuro (próximo?), irei com certeza embarcar numa jornada sem volta à Terra Média!

“Cem Gramas de Centeio”, de Agatha Christie

Mais uma vez, embarquei numa das histórias da Rainha do Crime! Nessa obra, há vários dos elementos característicos da autora: um assassinato, um grupo seleto de suspeitos e a presença de uma das detetives mais famosas da Agatha, Miss Marple. Como sempre, descobrimos no decorrer da narrativa que nem tudo é o que parece. Nada mais revelarei sobre o enredo, pois, quando se trata dessa escritora, a obra fala por si… 🙂


Então, conhecem alguma das obras citadas? Se sim, adoraria saber a opinião de vocês!

Um abraço e até a próxima!

8 comentários sobre “Leituras do mês | Novembro 2017

  1. Começou a postagem arrasando (^_^). Verdade, a leitura faz diferença na nossa vida. E não importa a quantidade, como você disse: “o mais importante é manter a literatura em nossa rotina”.
    Ainda não li Lygia Fagundes Telles. Dela tenho vontade de ler “As Meninas”.
    Beijos, Maria Luiza!

    Curtido por 1 pessoa

  2. Lavoura arcaica é uma obra que estou observando de canto de olho… quem sabe um dia não vira minha leitura?
    Lygia é amor, só li As meninas, mas tenho certeza que sempre vou gostar do que ela escreve. Ela é uma mistura de provocativa e doce, meio inexplicável!
    O Hobbit é um livro lindo, ele é todo encaixado, tudo nele faz sentido.
    Sobre Agatha, ainda não li esse, mas amo essa mulher! ❤️❤️❤️

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s